quarta-feira, 20 de maio de 2015

quarta-feira, 13 de maio de 2015

MC (Mundo da Canção) com JMB

Capa a cores do MC (Mundo da Canção) com JMB

(nº25 - janeiro de 1972)

A páginas 6/7 e 8, análise do LP "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades" (2º disco de JMB) e na última (ficha 21) um resumo biográfico onde consta a razão do contrato feito para a Sassetti que, como o referi num tema sobre este disco do JMB, foi o Zeca Afonso que trouxe a bobine de França e a apresentou à Orfeu (Arnaldo Trindade) e à Sassetti.

Este disco foi apresentado a 26 de Novembro de 1971 no cinema Roma com emissão em direto para o programa Página 1, da Rádio Renascença. Sala cheia e o disco foi um grande sucesso tendo rapidamente esgotado os 5.000 exemplares editados.
Na mesma sessão foi também lançado o EP de Sérgio Godinho "Romance de um dia na estrada"
(Fontes várias e embora tenha o MC original, a pedido de direitos coloco aqui o link de onde retirei a ficha21. http://queimador-recortesretalhos.blogspot.pt/2014/09/mundo-da-cancao-n-25-capa-ficha-n-21.html)


vídeo: «Queixa das almas jovens quando censuradas» com música de JMB sobre o poema de Natália Correia


"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades" - 3º disco de JMB

Zeca Afonso vai a Paris cantar e encontra-se com JMB. Traz uma bobine com cantigas que mostra à Arnaldo Trindade e à Sassetti. Seria nesta última (Guilda Da Música - Sassetti & Co Ltd - DP 001) gravado este álbum e lançado a 26 Nov 1971.

A assinatura do contrato que JMB fez com a Sassetti, implicava a condição de esta fazer também contrato com Sérgio Godinho.

Neste LP, JMB teve a colaboração de Sérgio Godinho e musicou poemas de Natália Correia, Alexandre O'Neil e Luís de Camões.


Fotografia: Michel Morange

Vídeo: "Casa comigo Marta" de Sérgio Godinho.

- Casas comigo Marta
Que eu obrigo-te a casar
- Casar contigo, não maganão
Só me levas contigo dentro de um caixão.


quinta-feira, 7 de maio de 2015

Concerto Solidário - 2005

Com José Mário Branco; Tino Flores e Francisco Fanhais.

Concerto de Solidariedade para a construção do Barracão de Cultura de Macieira - Lixa

Dois vídeos com cerca de 55' cada onde, para além das canções dos cantautores presentes, se homenageia Zeca com muitas canções do seu reportório.



"Ronda do Soldadinho" - 2º disco de JMB

"Ronda do Soldadinho" o 2º disco de José Mário Branco

Este disco teve duas "versões" no que concerne às capas. Uma de capa branca, edição de autor, gravada em França com dinheiro adiantado pelas associações dos emigrantes, entrou clandestinamente em Portugal sem número de catálogo, no ano de 1969.


"Foi o meu pai que mandou imprimir cá uma capa. Depois do 25 de Abril ainda me devolveram uma caixa com discos que tinham sido apreendidos pela PIDE (José Mário Branco, in "Canto de Intervenção", Eduardo M. Raposo)."

A 2ª capa lançada em Portugal em 1970, tem capa de João Segurado e a fotografia de JMB é de Michel Morange.


Este vídeo, foi gravada em Luanda por familiares do José Mário Branco, tio das três crianças que cantam o tema. Esta gravação de 1969, foi enviada em fita magnética.


Fontes várias e daqui IÉ-IÉ

"Chant en Exil" - A Cantiga é uma arma

Do documentário nunca concluído "Chant en Exil".

Neste vídeo José Mário Branco canta pela 1ª vez "A Cantiga é uma Arma" no verão de 1973 na Cartoucherie de Vincennes (sede do Théâtre du Soleil da Ariane Mnouchkine)


Fonte:

Citizen Grave

"Mudar de Vida" - Genérico

Genérico do filme "Mudar de Vida" sobre a vida e obra de José Mário Branco.

Entrevista com JMB

quarta-feira, 6 de maio de 2015

"Seis Cantigas de Amigo" - 1º disco de JMB

1º disco de José Mário Branco - 1969




Face 1

Ai Flores do Verde Pinho (D. Dinis) - Leda M'and'eu (Nuno Fernandes Torneol) - Ma Madre Velida (D. Dinis)

Face 2

Levantou-s'a Velida (D. Dinis) - Bailad' Hoje, Ai Filha (Airas Nunes) - Lelia Doura (Pedro Eanes Solaz).

José Mário Branco é acompanhado por Sérgio Godinho (2ª viola e pandeireta) e Raymond Guyot (flauta).

Acerca do disco, José Mário Branco refere que o mesmo se destaca pela evocação da música vocal medieval e que é “político apenas no sentido de tentar representar uma ligação às origens portuguesas”. O disco é inspirado num livro de Cantigas de Amigo que lhe havia chegado às mãos e pelos conhecimentos obtidos durante a sua formação etnomusicológica em Portugal.

(depois de consultadas várias fontes entre elas "Canta, Amigo, Canta" de João Carlos Callixto, o "Arquivos Sonoros Portugueses" dirigidos por Fernando Lopes Graça e Michel Giacometti (http://www.discogs.com/label/230658-Arquivos-Sonoros-Portugueses), este 1º disco de José Mário Branco foi lançado não em 1967 mas em Outubro de 1969.)

MP3

Ai Flores do Verde Pinho


Leda M'and'eu

Ma Madre Velida

Levantou-s'a Velida

Bailad' Hoje, Ai Filha

Lelia Doura